O que é quimioterapia?

A quimioterapia é um tratamento utilizado para combater o câncer. Os medicamentos são aplicados e levados a todas as partes do corpo humano, inclusive às células do tumor, para causar sua destruição e impedir que se espalhem.

Como é administrada a quimioterapia?

Geralmente, os medicamentos são administrados pela veia, mas também podem ser aplicados por outras vias:
  • Via oral: os medicamentos entram pela boca – comprimidos, cápsulas e líquidos;
  • Via intramuscular: a medicação é feita no músculo através de injeções;
  • Subcutânea: a medicação é feita abaixo da pele, no tecido gorduroso, através de injeções;
  • Intravenosa: a medicação é feita pela veia ou por meio de cateter (tubo fino colocado na veia);
  • Intratecal: procedimento pouco comum em que a medicação é aplicada no liquor, sendo administrada pelo médico em sala própria ou no centro cirúrgico;
  • Tópica: a medicação é aplicada sobre a pele, na forma de pomadas.

Como é feito o tratamento?

Após consulta médica e liberação dos exames laboratoriais, a quimioterapia será agendada. Mas antes de iniciar o tratamento, haverá uma entrevista com o(a) enfermeiro(a) que receberá orientação adequada, de acordo com a prescrição médica. Nossa equipe de enfermagem é composta por profissionais capacitados para acompanhar todo o tratamento.

Periodicidade do tratamento:

O tempo de duração do tratamento quimioterápico e a sua periodicidade variam de acordo com o tipo de câncer e o protocolo que está sendo realizado. Quem determina esse período é o médico. O intervalo entre as aplicações pode variar entre períodos de 15 em 15 dias, 21 em 21 dias, 28 em 28 dias ou semanalmente.

Dor e quimioterapia:

A quimioterapia não causa dor, apenas um incômodo da picada da agulha no momento da punção da veia.

Mudanças na vida:

A rotina do paciente não precisa mudar com o tratamento quimioterápico. Ele pode continuar com suas atividades de trabalho e lazer, ainda que nos primeiros dias sinta necessidade de descansar. É recomendado evitar aglomerados e optar por ambientes arejados e com boa ventilação. Se o tratamento estiver interferindo em atividades do dia a dia, uma conversa com o médico é indicada.

Atividade sexual – fertilidade:

É possível continuar com atividades sexuais normalmente. No entanto, é fundamental a utilização de preservativos para prevenir infecções, especialmente em casos de imunidade baixa e gravidez, pois os medicamentos podem causar má formação fetal. A quimioterapia também pode causar infertilidade.

Menstruação:

A quimioterapia pode causar suspensão temporária da menstruação, podendo o ciclo menstrual retornar ou não ao normal. Recomendamos uma conversa com o médico responsável.

Aleitamento materno:

É contraindicado durante a quimioterapia.

Vacinação:

Deve ficar suspensa durante o tratamento e só ser realizada com ordem médica.

Uso de outros medicamentos:

Tomar remédios sem orientação médica pode interferir no tratamento. Se o paciente faz uso de alguma medicação, deve comunicar ao médico, mas não deve deixar de tomar a medicação prescrita antes da quimioterapia.

Como são eliminados os quimioterápicos?

O medicamento é eliminado principalmente através da urina, mas também por fezes, vômitos, suor, lágrima e sêmen.

Efeitos colaterais:

Os medicamentos utilizados para combater o câncer também destroem as células sadias. As células afetadas são as do sangue, como: plaquetas, responsáveis pela coagulação sanguínea; leucócitos, responsáveis pela defesa do nosso corpo contra infecções; e hemácias, que transportam oxigênio. Quando as taxas sanguíneas estão muito baixas, surgem sintomas como cansaço, palidez, febre, pintas avermelhadas na pele, manchas roxas e sangramento. Diante dessas situações, recomendamos:
  • 1. Manter boa higiene oral e corporal;
  • 2. Inspecionar diariamente a pele e a boca à procura de manchas ou lesões;
  • 3. Proteger a pele de lesões ao se depilar, barbear e cortar as unhas, além de não espremer cravos e espinhas;
  • 4. Lavar bem as frutas e verduras antes de ingeri-las;
  • 5. Medir a temperatura sempre que perceber alguma alteração;
  • 6. Procurar repousar e ter bom sono;
  • 7. Evitar exposição ao sol, usando sempre filtro solar;
  • 8. Não ingerir bebidas alcoólicas (só fazê-lo com autorização médica).

Os cabelos podem cair, total ou parcialmente, em um período de 14 a 21 dias após a administração da quimioterapia. Esse efeito colateral é reversível e temporário, pois, ao término do tratamento, o cabelo volta a crescer.

Alguns medicamentos podem causar diarreia em maior ou menor intensidade. Importante comunicar ao médico e evitar alimentos com gordura e condimentos. É preferível arroz, batata, goiaba, banana, cenoura, caju, maçã etc. Deve-se ingerir, pelo menos, dois litros de água diariamente.

A quimioterapia pode causar feridas na boca, como aftas, que são extremamente desagradáveis. Recomenda-se inspecionar diariamente a boca, mantendo-a sempre limpa, principalmente após as refeições, além de evitar alimentos ácidos e condimentados. A preferência é por aqueles gelados, pastosos e líquidos.

Alguns medicamentos podem causar uma irritação no aparelho digestivo, provocando náuseas e vômitos. Nesse caso, recomenda-se tomar remédios contra enjoos seguindo a orientação do médico. Ao invés de alimentos gordurosos e condimentados, são preferíveis os frios, pastosos e em temperatura ambiente. Um local calmo para fazer as refeições como um momento pessoal é importante. Os alimentos devem ser bem mastigados e não é recomendado fazer esforços após as refeições.

Alguns medicamentos podem causar escurecimento da pele, principalmente nas articulações, nas unhas e no trajeto das veias. Recomenda-se aplicar protetor solar nas áreas expostas ao sol, além do uso de chapéus ou bonés para proteger a face e a cabeça. Importante também manter a pele sempre hidratada.

Recomendações importantes:

  • 1. O médico deve ser informado imediatamente em casos de febre igual ou acima de 37,8°; pintas ou manchas avermelhadas na pele; sangramento; palidez e cansaço aos pequenos esforços;
  • 2. Não faltar aos retornos agendados é importante. Perdendo o retorno, o paciente deverá ligar o quanto antes para reagendar;
  • 3. Evitar bebidas alcoólicas e cigarro;
  • 4. Evitar contato com pessoas que estejam com algum tipo de infecção;
  • 5. Evitar locais muito cheios e fechados.