Troca de Ideias Voltar

Entendendo o câncer de ovário


Sendo o 2º câncer ginecológico mais incidente e o 8º tipo mais comum em mulheres, o câncer de ovário é detectado, na maioria das vezes, quando o tumor já se encontra em estágio avançado. Por isso é importante ter atenção aos fatores relacionados e vigiar. E para entender mais sobre este tipo de câncer, conversamos com a Dra. Martha Mussi, médica oncologista da São Carlos Saúde Oncológica.

De acordo com a especialista, dentre os exames listados como de rotina, não existe um específico que forneça a avaliação precoce. Entretanto, existem alguns exames que auxiliam na detecção e que podem ser solicitados durante a consulta com o médico.

“É o caso de exames ginecológicos, a ultrassonografia transvaginal, por exemplo, que pode rastrear e fazer o diagnóstico mais precoce, como a identificação de lesões iniciais no ovário” – complementa a Dra. Martha Mussi.

O que é o câncer de ovário?

Os ovários são glândulas responsáveis pela produção dos hormônios sexuais femininos e produção e armazenamento de óvulos.

Existem três tipos de tumores de ovário:

  • Tumores Epiteliais: eles crescem lentamente e tem sua aparição no tecido da superfície externa do ovário.Este é considerado o tipo mais comum do tumor;
  • Tumores Estromais: aparecem nas células que produzem os hormônios femininos.
  • Tumores de Células Germinativas: são derivadas das células germinativas que produzem os óvulos.

Fatores de risco do câncer de ovário

  • Idade avançada
  • Mulheres com infertilidade
  • Mulheres com endometriose
  • Menopausa tardia (após os 52 anos)
  • Primeira menstruação precoce (antes dos 11 anos)
  • Histórico familiar de câncer de ovário, colorretal e mama
  • Obesidade, que pode elevar o risco de desenvolvimento do câncer de ovário

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a indução da ovulação, para o tratamento de infertilidade e a terapia hormonal pós-menopausa não são considerados fatores de risco para o câncer de ovário.

Sintomas do câncer de ovário

Os sintomas decorrentes do câncer de ovário costumam ser vagos e confundem-se com leves mal-estares, comuns, por exemplo, no período da menopausa. São eles:

  • Gases
  • Náuseas
  • Indigestão
  • Perda de peso
  • Perda de apetite
  • Cansaço constante
  • Alteração na menstruação
  • Prisão de ventre ou diarreia
  • Pressão, dor ou inchaço no abdômen, pelve, costas ou pernas

Caso tais sinais persistam o período de algumas semanas, procure um médico para avaliar o ocorrido.

“Como este é um câncer silencioso, muitos dos sintomas só vão se mostrar evidentes quando o câncer estiver em estágio avançado. Por isso é importante não negligenciar qualquer sinal que o corpo possa dar, principalmente aos que persistirem em continuar”, afirma a Dra. Martha Mussi

Tratamento

O procedimento ideal para o tratamento do câncer de ovário será indicado pelo médico do paciente, após análises de seus exames. Geralmente é indicada a cirurgia, quimioterapia ou cirurgia seguida de quimioterapia.

Como prevenir o câncer de ovário?

Conforme conversa com a médica oncologista, o melhor método de prevenir o câncer de ovário é a vigilância, isto é, atenção aos fatores de risco.

“Hoje podem ser feitos estudos genéticos. Eles indicam a probabilidade da mulher ter mutações genéticas associadas ao aumento do risco do câncer de ovário. Caso haja histórico na família de presença do tumor, o estudo genético é um bom aliado à prevenção” acrescenta Dr. Martha Mussi.