Troca de Ideias Voltar

Como a alimentação pode ajudar o tratamento do paciente oncológico?


O tratamento do câncer envolve uma série de etapas e existem fatores que podem contribuir para que cada uma delas seja mais efetiva, causando menos impacto ao organismo. Por esta razão, seguir um plano alimentar adequado e orientado por um nutricionista é de extrema importância para o sucesso do tratamento do paciente oncológico.

De acordo com a nutricionista Emília Delesderrier, da equipe de Nutrição da São Carlos, a alimentação do paciente oncológico necessita de um direcionamento especial, capaz não só de controlar o aparecimento de sintomas durante tratamentos de quimioterapia e radioterapia, como também evitar alguns efeitos colaterais: perda de apetite, queda da imunidade, boca seca, alteração do paladar, diarreia, constipação, náuseas, fraqueza, entre outros.

O metabolismo é alterado de acordo com os tipos de tumores. Alguns são hipermetabólicos, como o câncer de cabeça e pescoço, em que o paciente apresenta grave perda de peso, sendo necessário um plano alimentar diferenciado para estimular seu ganho. Já em pacientes com câncer de mama, geralmente é necessária uma dieta voltada à perda de peso. Por isso a personalização da dieta é tão importante”, explica Emília.

O que não pode faltar na alimentação do paciente oncológico?

A base da alimentação do paciente oncológico deve ser o consumo de alimentos in natura: frutas, legumes, verduras, sementes e grãos, principalmente os que não tenham sido submetidos à exposição de aditivos alimentares, como os agrotóxicos.

Frutas

Quatrocentos gramas (400g) de frutas, legumes e verduras por dia são essenciais à dieta do paciente oncológico.

Exemplo:

Fracionando as porções de frutas:

  • 1 banana no café da manhã
  • 1 laranja de sobremesa no almoço
  • 1 fatia de mamão no lanche da tarde
  • 1 tangerina de sobremesa no jantar

Proteínas vegetais

As proteínas vegetais (feijões, grão de bico, lentilha, ervilha) são fontes de fibra, proteína e ferro, o que é muito importante para o paciente oncológico.

“Vale lembrar que o ferro presente neste grupo de alimentos não é absorvido de maneira tão fácil quanto o ferro encontrado nas proteínas animais (carnes), precisando do auxílio da vitamina C para isso. Sendo assim, opte por frutas ricas em vitamina C (caju, morango, tangerina, laranja, goiaba) como sobremesa após o almoço e jantar” – indica a nutricionista.

Leite

Leites e derivados são alimentos ricos em cálcio, muito importantes para a saúde óssea. Por isso, procure consumir esse tipo de alimento ao menos 3 vezes ao dia.

Fibras

As fibras trazem benefícios para a flora intestinal e possibilitam o melhor funcionamento do intestino. Elas ajudam também na redução do colesterol/triglicerídeos, assim como no controle da glicose no sangue. Consuma leguminosas (feijões), aveia, chia e linhaça, alimentos ricos em fibras.

Carne branca

É recomendado o consumo de peixes ao menos duas vezes na semana, principalmente os ricos em gordura Omega-3, que possui ação antiinflamatória, como atum, salmão, sardinha.

prato diversificado de acordo com as orientações do nutricionista - refeição paciente oncológicoO que o paciente oncológico não deve consumir

  • Bebidas alcoólicas;
  • Alimentos embutidos;
  • Alimentos fastfood;
  • Bebidas açucaradas (sucos de caixa, refrigerantes, mates e chás gelados industrializados);

“Todos esses alimentos aumentam o risco do desenvolvimento de doenças crônicas, como as cardiovasculares, diabetes e obesidade”, – afirma a especialista.

Alimentos para consumir em pouca quantidade

  • Sal – Limite o consumo de sal para 1 colher de chá por dia.
  • Alimentos em conserva e processados– É bom evitar, pois são acrescidos de sal ou açúcar em sua composição para maior conservação e tempo do produto no mercado.
  • Carne vermelha – Limite de 500 gramas por semana.

Alimentos em conserva e os processados podem ser usados em poucas quantidades para as preparações culinárias. Por exemplo: você pode adicionar o palmito em conserva a uma receita que esteja preparando, no entanto, não deve ter o hábito de fazer isso sempre”- indica Emília.

Mensagem do nutricionista

De acordo com Emília Delesderrier, é importante que a alimentação do paciente oncológico seja indicada por um nutricionista especializado. Ao seguir as recomendações desse profissional é possível realizar refeições adequadas e equilibradas.

“A alimentação saudável não é sinônimo de comida sem graça e sem sabor! Procure criar preparações culinárias com os alimentos in natura citados e temperos naturais. Dessa forma a refeição vai ser mais saborosa e benéfica à saúde. Por fim, abuse das cores dos alimentos em seu prato. Cada cor significa um nutriente diferente, utilize pelo menos cinco” – acrescenta a nutricionista.