Troca de Ideias Voltar

Entenda o papel da Medicina Nuclear no combate ao câncer de cabeça e pescoço


A Medicina Nuclear é uma área médica que faz uso de materiais radioativos para o diagnóstico e tratamento de doenças. Assim, ela também auxilia no combate ao câncer de cabeça e pescoço. Entenda como isso acontece.

Um dos principais aliados à Medicina Nuclear para o câncer de cabeça e pescoço é o PET/CT–FDG. Este é um tipo de exame que atua em diversos cenários:

  • Pesquisa primária de tumor desconhecido;
  • Metástase à distância;
  • Tumor primário.

O exame PET ajuda a identificar quando o câncer primário tem um tumor desconhecido, se há envolvimento de metástase (quando ocorre do câncer sair de seu local de origem e se espalhar pelo corpo, atingindo outros órgãos e tecidos), sua distância, tamanho, e também avalia o tumor primário.

Benefício do PET para o câncer de cabeça e pescoço

Exames de imagem como tomografia ou ressonância magnética, permitem a identificação da área anatômica do tumor, isto é, o seu tamanho. No entanto, com o PET (que também é um exame de imagem) torna-se possível visualizar a área metabólica do tumor, ou seja, a região em que o câncer está agindo, que, muitas vezes, é maior que a visualização pela tomografia.

Como o PET auxilia o tratamento do câncer de cabeça e pescoço?

O exame PET avalia a extensão precisa do tumor, e isso permite o correto prognóstico, ou seja, se ele responderá ao tratamento ou não.

exame da Medicina Nuclear mostrando tumores referentes ao câncer de cabeça e pescoço“Quanto mais intensas forem as manchas que aparecerem no exame, significa que maior e mais agressivo é o tumor. E este ponto é muito importante para definição da conduta da radioterapia”, comenta a Dra. Dominique Fuser, médica nuclear da São Carlos Saúde Oncológica.

A maioria dos tipos de câncer de cabeça e pescoço tem como indicação terapêutica a radioterapia. E para realizar esse tratamento, é preciso demarcar o tumor, para irradiar a região.

“Para que esse processo seja feito, o radioterapeuta pega o exame de imagem, entende em qual local encontra-se o tumor e desenha a região onde a radiação deverá atuar. Dessa maneira, nota-se que o PET ajuda na precisão sob a qual será feita a delimitação da área e distribuição da dose” – complementa a médica nuclear.

Tratamento

A Medicina Nuclear atua em dois tipos de tratamentos para o câncer de cabeça e pescoço: biópsia, com o auxílio da cintilografia de tireoide, e iodoterapia.

Cintilografia de tioreide

A cintilografia de tireoide é um exame que utiliza material radioativo para avaliar a função dessa glândula e presença de nódulos tireoidianos. Caso na região haja a atração do iodo, as chances do tumor ser benigno são grandes. Por outro lado, se não captá-lo, é possível que seja maligno. Na negativa, ele é biopsiado e se dá prosseguimento à investigação do câncer de tireoide.

Iodoterapia

A iodoterapia é o tratamento com iodo radioativo, realizado principalmente para o câncer de tireoide, pois, após a cirurgia, podem sobrar algumas células microscópicas na região operada. O objetivo deste tratamento é destruir estas células restantes através da radiação emitida pelo iodo.

“É importante citar que a iodoterapia é o tratamento mais indicado para o tumor de tireoide, que mesmo sendo o 5º mais comum nas mulheres e 13º nos homens, é um tipo de câncer que mais apresenta sucesso em sua terapêutica” – complementa a Dra. Dominique Fuser

Saiba mais sobre o papel da iodoterapia para o tratamento do câncer de tireoide aqui!